quarta-feira, novembro 25, 2009

Ai essa história da igreja...

(resposta a um comentário no post anterior)

Caro anónimo o seu desconhecimento da história da igreja surpreende-me, ou talvez não, mas é um facto.
Lembro-lhe que a Igreja não teve início em Roma e sim em Jerusalém. Quando finalmente o Evangelho chega a Roma (levado certamente por pessoas que se converteram em Jerusalém no dia de Pentecostes) é ao Apóstolo Paulo (e não a Pedro) que cabe a tarefa de ajudar aquela igreja quanto ao seu crescimento. Daí que exista a epístola que Paulo escreveu aos romanos, carta onde a doutrina ocupa quase todo o espaço.
Foi já no século 4º que surgiram os denominados patriarcados (Jerusalém; Constantinopla; Alexandria e Roma)
Como a sede do império era em Roma cedo esse patriarcado reivindicou domínio sobre toda a igreja mas, deixe que lhe diga, nessa altura já a igreja tinha pouco da espiritualidade e simplicidade se comparada com a que em Jerusalém tinha tido início. Já tinha havido a falsa conversão de Constantino que acabaria por chamar a si a liderança da igreja com todas as desgraças daí recorrentes. Depois foi "um ver se te avias" com a criação dos papas que, como Constantino, queriam ter o domínio temporal e espiritual e a igreja Passou a chamar-se Católica Apostólica (e por aqui não vinha mal ao mundo) e Romana(!!!) Porque é que eu (que também Sou Católico e Apostólico) deveria ser romano?
Quando os genuínos cristãos quiseram mudar o que estava errado foram perseguidos, torturados e queimados por ordem do papa e quando Lutero se levanta já muitos o tinham antecedido na tentativa de reformar a igreja. Só que reformar a igreja era impossível e daí a cisão (já era a segunda depois dos ortodoxos se terem separado) dando origem aos protestantes.
Pode acreditar, a maioria das igrejas evangélicas mais não desejam do que seguir a Cristo de acordo com os ensinos da Bíblia e também nenhum evangélico deve querer conduzir pessoas para a sua igreja já que é dever de todo o verdadeiro crente conduzir as pessoas a Cristo que, para ser encontrado, nem sequer é necessário procurá-lo em qualquer igreja já que está em toda a parte.
E por aqui me fico.

6 comentários:

Vilma disse...

Gostei de ler.
Concordo em absoluto, como filha "desviada" da católica romana que sou! :)

José Carlos disse...

Bendito "desvio" Vilma.
DTA

Anónimo disse...

Uma história da igreja demasiado simplificada...
Um católico romano teria certamente outra visão.

José Carlos disse...

Sinta-se livre para colocar aqui a sua visão, mesmo que não tão simplificada quanto a minha...

Ego ipse disse...

Isto anda animado :)
Gosto principalmente das ultimas linhas: Mais importante do que levar alguem para a minha igreja ou reclamar a superioridade da minha igreja... Mais importante do que isso tudo é crer em Cristo como unico e suficiente mediador entre Deus e os homens

José Carlos disse...

A verdade é essa Ego ipse; fazer proselitismo religioso é uma perda de tempo.
Abraço