quarta-feira, setembro 30, 2009

É por isso que apoio...

Fala-se muito contra a presença de soldados estrangeiros (sobretudo americanos) no Afeganistão. Sobre o assunto dizem-se as tretas do costume: é uma interferência, é querer impor àquele povo um regime a que não está habituado, é um desrespeito pela sua cultura, etc.
Há dias vi uma reportagem da BBC sobre a forma como, ainda hoje e após a queda do regime talibã, as mulheres são tratadas.
Raparigas (crianças) são obrigadas, pelos próprios familiares, a casar com velhos que depois as maltratam. Mulheres que não escolheram (como o poderiam fazer?) os maridos que as espancam, humilham e, nalguns casos, as usam em beneficio próprio na prostituição, chegam (em grande quantidade) a atear fogo a si próprias na ânsia de se libertarem, nem que seja pela morte, da sua opressão.
Sobre esta terrível realidade não vejo os defensores da integridade territorial do Afeganistão dizerem o que quer que seja.
Como se pode (de forma mais um menos explícita) apoiar o regresso daqueles que, certamente, trarão às mulheres afegãs ainda mais opressão?
É por isso que eu apoio que os militares estrangeiros que estão no território continuem e haja até significativo reforço. É que a aposta para a mudança de mentalidades tem que ser feita nas camadas jovens e isso não acontecerá se essas camadas forem doutrinadas pelos talibã.