segunda-feira, outubro 15, 2007

Petróleo

O denominado "ouro negro" acaba de subir de preço, mais uma vez. Saído das profundezas da terra onde se formou, ao que se crê pela decomposição de detritos orgânicos, o petróleo é ainda a base da energia consumida pela humanidade. O aumento consecutivo do seu custo, por barril, tem uma enorme influência na economia mundial, sobretudo na economia dos pequenos países como é o nosso.
Os políticos, os cientistas e os ecologistas há muito que falam de energias alternativas. Diz-se mesmo que a água (do mar) poderá vir a ser a alternativa abundante, quase inesgotável, ao petróleo. Mas isso será para quando?
Um coisa que também se diz é que uma tonelada de lixo é suficiente para produzir um barril de petróleo. O problema são os custos de produção que pelos vistos também constituem um problema na transformação da água em energia substituta.
E o sol? O sol lá está (repleto de energia) à espera que os homens se lembrem de olhar, de forma prática, para cima.
Certo, certo é que enquanto não encontrarmos alternativas credíveis os árabes (sobretudo estes) vão continuar a por e dispor em relação ao Ocidente.
Isso não é nada bom.