segunda-feira, janeiro 30, 2006

Mais VIDA p'ralém da vida...

Não há muito tempo, tive a oportunidade de apreciar uma lagarta que vagueava num arbusto de um jardim.
Era uma lagarta verde, com algumas manchas amareladas, azuladas e alaranjadas. Ao ver aquela lagarta, que serpenteava nos seus trejeitos característicos por entre a folhagem do arbusto, não pude deixar de concluir que estava viva. De resto, algumas folhas parcialmente roidas indicavam que ela se estava a alimentar do próprio arbusto. Logo, estava viva.
Depois pensei nas limitações da lagarta. Quanto tempo levaria ela para mudar de arbusto? Que variações poderia ela fazer em matéria de dieta alimentar?. O que conseguiria ela vislumbrar da sua limitada posição?.
Não demorou muito tempo para que um sorriso me aflorasse ao rosto. Afinal, lembrei-me, aquela situação da lagarta era trasitória. Logo, logo ela iria passar por uma metamorfose (processo de transformação radical) abandonando aquele corpo desajeitado, aquele aspecto nojento e aquelas limitações todas que lhe estavam impostas naquela forma de viver. Logo, logo ele iria ficar elegante, bela e com asas capazes de a transportar por cima de tudo aquilo que, outrora, a prendia ao chão empoeirado.
É claro que, enquanto lagarta, ela vivia. Mas a verdade é que há mais VIDA p'ralém da vida.