domingo, março 27, 2005

Se Cristo não tivesse ressuscitado...

O Apóstolo Paulo, procurando combater uma dúvida que tinha sido posta a circular entre os gregos, escreve aos cristãos de Corinto: "Se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação e vã a vossa fé"
A ressurreição de Cristo é a pedra base de toda a fé cristã. Se Jesus Cristo não tivesse ressuscitado dos mortos, conforme tinha prometido, então não seria mais do que um impostor ou um alienado.
Há para aí quem queira que acreditemos num cristo assim. Mas para que nos serviria um cristo que afirmou ser o que não era? Que importância pode ter uma figura histórica que apareceu dizendo-se Messias; Filho de Deus e igual ao Pai; Caminho, Verdade e Vida; Pão da Vida; Ressurreição e Vida; Luz do mundo, etc., e que afinal não era mais do que um ser humano com manias de grandeza.
Fosse Jesus Cristo desta forma e não nos mereceria qualquer tipo de respeito. Tão pouco deveria ser exemplo para quem quer que fosse.
Por isso, é com regozijo que ouvimos Paulo afirmar: "Mas de facto Cristo ressuscitou dentre os mortos..."
Era esta convicção, fundada na realidade que mais de 500 cristãos, de uma só vez, tinham testemunhado, que aqueles se dispuseram a ir até à morte por causa da sua fé.
Sim, Aleluia, Cristo ressuscitou.