terça-feira, março 22, 2005

Consultem o Dr. Lucas

O livro "Código Da Vinci" ( o tal aglomerado de lendas e ficção, apresentado como factos) leva os seus leitores a duvidarem da autenticidade e credibilidade dos livros do N.T. (nomeadamente os evangelhos)
O livro sugere que:
1- Há documentos que, divulgados, lançariam por terra a ideia base do cristianismo.
a) E quantos desses pretensos documentos são revelados? zero.
2- Foi o Imperador Constantino que, no concílio de Niceia, escolheu os livros que figuram no N.T. rejeitando aqueles que não defendiam a divindade de Jesus.
a) Ideia totalmente absurda.
3- A ideia da divindade de Cristo passou, no referido concílio, depois de votação renhida.
a) De facto estavam 318 bispos e apenas 5 votaram contra, foi mesmo muito renhida a votação...
4- Os cristãos ( que não veriam com bons olhos a ascensão das mulheres e olhavam com desconfiança a prática do sexo) não queriam que se soubesse que o verdadeiro "Santo Graal"
era Maria Madalena, com quem Jesus casou e que foi a verdadeira sucessora e líder da Igreja cristã. Leonardo Da Vinci, na sua pintura sobre a última ceia de Cristo, omite o cálice e coloca ao lado direito de Jesus alguém (que deveria ser o apóstolo João) com cara de mulher. Uma referência, diz o livro, a Maria Madalena.
É claro que o autor do livro parece desconhecer a história e os livros do N.T.
Se ele, por exemplo, consultasse o Dr. Lucas (Evangelho de Lucas,1:1 a 4) veria que as aberrações que produz não fazem qualquer sentido.
disto falaremos em próximo post.