sexta-feira, setembro 03, 2004

Santana e os dossiers

Pressionado pelas notícias na Comunicação Social e pelas declarações do Presidente Sampaio, Santana Lopes, o actual Primeiro Ministro, veio fazer declarações onde, claramente, mostrou abertura a mudanças na actual lei do aborto. Quando afirmou, entre outras coisas, que as leis não são estáticas, não pode o Primeiro Ministro pedir aos jornalistas que interpretem de outra forma.
O problema é que Paulo Portas deve ter-lhe ligado, de seguida, informando-o (ou lembrando-o) que havia um acordo entre PSD e PP, no sentido de apenas se mexer na lei em 2006.
A questão é sempre a mesma. Ele acabou de chegar ao Governo e não é obrigado a dominar todos os dossiers. Mas porque é que disfarçou e ainda por cima tão mal?
Não era melhor ter admitido que se tinha equivocado? Não credibilizava, tal atitude, mais a política e os políticos?