sábado, junho 19, 2004

Solidão

"Ninguém, a não ser o solitário coração, pode sentir a minha angústia..."(Peter Tchaikovsky)
Solidão é a mais triste palavra de todo o vocabulário humano.Ela é capaz de provocar os mais pesados fardos que o coração pode suportar. Não tem preferências, ignora todas as regras de cortesia, desconhece fronteiras ou barreiras e age sem misericórdia. Não pode ser subornada ou esquecida. Multidões são capazes de a piorar, actividades apenas a aprofundam. É capaz de provocar lágrimas em nossos olhos e suspiros em nossos lábios. Como hóspede indesejada, chega de surpresa e fica para o jantar.
(do livro "Crescendo Nas Estações da Vida" de Charles R. Swindoll)
A solidão é o tema do livro mais triste do mundo: "O Só" de António Nobre.
É a grande causadora da maior parte dos suicídios e do enriquecimento de psicólogos e laboratórios que produzem medicamentos contra a ansiedade.
Precisamos de estar sós, por vezes, mas durante pouco tempo e a verdade é que podemos estar acompanhados por várias pessoas e mesmo assim sentirmo-nos sozinhos.
A solidão é uma "luz vermelha" que se acende em nossa vida a mostrar que nos falta alguém; o único que nunca nos deixará sós.