segunda-feira, março 29, 2004

Brilho que foi ilusão...

Homosexual assumido, travesti de profissão, adoptou o filho do que foi seu namorado, assumindo-o como seu próprio filho. De repente descobriu que tinha sida. Quando as doenças oportunistas iniciaram o seu percurso destruidor, agarrou-se à vida com unhas e dentes. De nada valeu. O Rui acabaria por morrer, no passado dia 9, com apenas 38 anos.
Para as estatisticas será apenas um algarismo. Faz parte dos 6650 portugueses que a doença vitimou.
Pouco antes de morrer, e recordando os tempos áureos, o Rui fez uma afirmação interessante: "Olhando para o passado vejo em todas as plumas e brilhos de que me rodeei, nada mais que uma ilusão." E perguntou: "Será que valeu a pena?..."
Quantos Ruis neste mundo que se deixam iludir por brilhos ilusórios!