quarta-feira, junho 14, 2006

"Geração CIDREIRA"

Apesar de não ser do tempo dos dinossauros, ainda pertenço à" geração cidreira". O que quero dizer?
Quando criança, a erva cidreira (também chamada de melissa), estava presente em cada momento de menos saude.
Para as dores de cabeça, barriga, febre, gripe, constipações, dor de dentes, etc.etc. bastava que alguém se queixasse para vir à baila o chazinho de erva cidreira.
Lembro-me que quando fui fazer o exame da 4ª classe (2º grau) a Cabeceiras de Basto, estava muito nervoso. A minha falecida mãe, com toda a naturalidade, fêz-me um chazinho de, claro, cidreira...
Como denominaríamos a geração de nossos dias?
Talvez "geração valium"?
É que hoje temos uma juventude pouco resistente e que não é incentivada a resistir. É claro que, quando se pode evitar o sofrimento, isso deve ser feito. Mas quem diz a esta geração que, regra geral, os "valiuns" desta sociedade têm contra-indicações perigosas.
Cá por mim, continuo a ser fã da cidreira. Essa, alivia sem "cobrar" o que quer que seja.