sábado, julho 31, 2004

Acção e palavras

Início da tarde de Sábado(31 de Julho) em Leça da palmeira. A praia está a abarrotar de pessoas e tudo decorre normalmente quando, de repente, junto ao paredão, surge uma pequena explosão numa conduta da Petrogal.
A essa primeira explosão sucedem-se outras o que causa o pânico entre utentes da praia e moradores próximos.
Dá-se então a evacuação, de forma natural e também por indicação da Proteção Civil, que foi de imediato accionada.
Quase ao mesmo tempo surge no terreno Narciso Miranda, Presidente da CMM. Após este aparece também o Governador Civil do Porto, Manuel Moreira. Nesta altura já o edil de Matosinhos tinhas feito um ponto da situação tendo apenas no terreno, em termos de imprensa, o jornal "Comércio do Porto".
Quando o Governador Civil do Porto chega, há já no terreno muitos jornalistas a quem ele fala de imediato. Afirma nessa altura esperar que tudo esteja já controlado, o que afinal realmente não acontecia. (as coisas acabariam mesmo por piorar). Mais tarde chegará também o vereador do PCP, Honório Novo, que também "bota faladura" para a C.S., dizendo que, apesar do acidente, não vê com bons olhos que a refinaria saia do local porque é preciso pensar-se nos trabalhadores que labutam na empresa. Ainda mais tarde um vereador do PSD aparece no terreno, mas este de forma muito discreta.
Enquanto o Presidente da Câmara se desdobrava em contactos para saber do que se passava, das possíveis consequências para os moradores de Leça da Palmeira, (teve mesmo uma reunião com responsáveis da Petrogal) os outros iam falando para a imprensa, muitas vezes sem terem algo de concreto a dizer.
Acção e palavras.