quarta-feira, junho 30, 2004

Também não vou a Fátima...

"O Ricardo quer ir a Fátima a pé que vá sozinho..." O jogador português que teve a coragem de dizer isto, merece o meu aplauso. Por dois motivos: Primeiro porque dizer isto a um país dominado pela crendice e não pela verdadeira crença, revela coragem. Segundo porque, certamente, Jorge Andrade já compreendeu que não se pode invocar a divindade em vão.
Alguém acredita que se pode pedir a, qualquer divindade, o apoio a favor de uma equipa em deterimento de outra? - que raio de divindade seria essa caso respondesse afirmativamente?
Independentemente de eu acreditar que todos os pedidos devem ser,
excusivamente, feitos a Deus em nome de Jesus, penso que ninguém, em seu estado normal, iria incomodar Deus com um assunto destes.
É claro que eu quero que Portugal ganhe à Holanda mas, para isso, que o treinador oriente bém (e não se escude em santinhos ou santinhas)e que os jogadores "comam a relva", em lugar de ir, a pé, a santuários.
E não me venham com a idiotice de que é preciso respeitar todas as fés. Por favor, poupem-me.