quarta-feira, abril 07, 2004

Alfredo... Alfredo...

A notícia foi-me dada e foi como se recebesse um soco no estómago. Um jovem de 23 anos, fotógrafo do jornal Primeiro de Janeiro, suicidou-se atirando-se de uma ponte. No carro terá deixado um bilhete onde explica o motivo do tresloucado acto: - o facto da namorada o ter deixado-.
Até me custou a acreditar. Não há muito tinha-o cumprimentado a brincar, como sempre fazia, chamando-o Alfredo...Alfredo, (recordando um programa de humor brasileiro onde a frase era muito utilizada por um personagem) ao que ele respondia sempre com um sorriso.
Não era muito falador mas convivia com os outros jornalistas e era estimado por todos. Ninguém imaginava poder vir a deparar-se com este fim trágico...
O meu primeiro pensamento foi: "será que eu o poderia ter ajudado?" mas depois pensei: "como ia eu adivinhar que ele precisava de ajuda na última vez que lhe apertei a mão a sorrir?"
Apesar de tudo não consigo deixar de pensar: "se calhar eu poderia tê-lo ajudado..."
Estou profundamente chocado.